Dados do Municipio

Área e População

Quedas do Iguaçu ocupa uma área de 821,503 (Km²).

População estimada em 2013:  32.393 pessoas.

População estimada em 2010:  30.605 pessoas.

Densidade demográfica (hab/Km²) 37,25

Gentílico: quedas-iguaçuense

 

Coordenadas Geográficas

  • Latitude: 25º 27’20” Sul
  • Longitude: 52º 55’ Oeste

Climatologia

De acordo com a classificação de Kóppen, o clima é do tipo subtropical úmido, mesotérmico, com verões quentes e geadas pouco freqüentes, tendo uma tendência de concentração das chuvas nos meses de verão. A temperatura média do mês mais quente, maior que 22ºC e do mês mais frio, menos que 18ºC. Nosso clima não apresenta estação seca definida.

Vegetação

Vegetação é um conjunto de plantas que nascem e crescem naturalmente, isto é, sem serem plantadas, os tipos de vegetação que ocorrem nos lugares são determinados pelo clima, pelo tipo de solo e pelo relevo.

A vegetação mais extensa de Quedas do Iguaçu, era a Mata dos Pinhais ou das Araucárias. Seu nome se deve à predominância dos pinheiros-do-Paraná, da família Araucária angustifólia. Essa espécie se adapta bem às áreas mais elevadas e mais frias da região Sul. Dessa floresta extraem-se, além do pinheiro, a imbuia, a canela e a erva-mate.

O pinheiro e a imbuia tem alto valor comercial para a indústria madeireira, e a erva-mate é usada para fazer o chimarrão, bebida típica da região e também o chá-mate.

A continua exploração da Mata das Araucárias para a comercialização de sua madeira, fez com que ela desaparecesse quase completamente, restando hoje cerca de apenas um décimo de sua área original.

O município de Quedas do Iguaçu, foi considerado o local de maior concentração de Araucária angustifólia do mundo.

Fica a uma distância de 447 km por rodovia, da capital. 

Relevo

São as diferentes formas como se apresenta a superfície da terra. Durante anos e anos, as condições climáticas de uma região vão desgastando e modificando a superfície da terra, dando origem às diferentes formas de relevo.

A região onde a cidade de Quedas do Iguaçu se localiza é de planície, terreno acidentado, topografia suave e altitude em torno de 630 metros. Os pontos mais altos do município são:

Serra da União – 912 metros

Serra do Mico - 785 metros

Ambas se localizam na região do Mato Queimado. O ponto mais baixo do nosso município se encontra na Foz do Rio Guarani com o Rio Iguaçu – 300 metros.

Localização Geográfica com relação ao Mercosul

O município de Quedas do Iguaçu está localizado a uma distância de 300km do Paraguai, ligado pela Br 277 e a 120km da Argentina.

Limites e localização

Nosso município está localizado no terceiro Planalto Paranaense, na região centro-oeste do Estado da Paraná. Está distante, aproximadamente, 447km de Curitiba, capital do estado. De Guarapuava está a uma distância de 168km; Laranjeiras do Sul à 60km e de Espigão alto do Iguaçu à 9km. No município podemos utilizar duas rodovias estaduais. PR473 e PR484.

Quedas do Iguaçu limita-se com os seguintes municípios:

  • NORTE CATANDUVAS
  • NORDESTE  GUARANIAÇU
  • LESTE ESPIGÃO ALTO DO IGAUÇU
  • SUDESTE RIO BONITO DO IGUAÇU
  • SUL SÃO JOÃO E SULINA
  • SUDOESTE SÃO JORGE D’OESTE
  • OESTE CRUZEIRO DO IGUAÇU
  • NOROESTE TRÊS BARRAS DO PARANÁ

Fonte de informação: Departamento de Engenharia da Prefeitura de Quedas do Iguaçu.

 

Solo

O solo do município de Quedas do Iguaçu é mediamente argiloso, com fertilidade média. A conservação se dá apenas em reduzido número de propriedades, fazendo-se reflorestamento nas áreas não utilizadas.

Considerando as características que identificam um tipo de solo, podemos enquadrá-lo como sendo: latossolo roxo, terra roxa estruturada e solos litólicos. Esses são os tipos predominantes e responsáveis pela formação dos solos do nosso município.

Quedas do Iguaçu está inserida no terceiro planalto paranaense, onde os solos destacam-se pela fertilidade média e pelo fato de ser mediante argiloso.

Visando a classificação dos solos da região sob o ponto de vista da sua aptidão edófica, apresentam-se os seguintes tipos:

  • Latossolo roxo destrófico
  • Ondulado com solos litólicos
  • Relevo forte e ondulado.

Hidrografia

Os principais rios que banham o município são:

  • O Rio Iguaçu, nasce em Curitiba, é o principal rio que banha o nosso município. Nele localiza-se a Usina Hidrelétrica de Salto Osório, situada à 17km de Quedas do Iguaçu.
  • O Rio Campo Novo atravessa o município, sendo utilizado pela Sanepar para a captação e tratamento da água, que é distribuída para a população de nossa cidade.
  • O Rio Guarani faz divisa com o município de Três Barras do Paraná, Catanduvas e Guaraniaçu.

Associação dos Municípios da Cantuquiriguaçu

A Cantuquiriguaçu corresponde a uma região constituída pelos municípios de Campo Bonito, Candói, Cantagalo, Catanduvas, Diamante do Sul, Espigão Alto do Iguaçu, Foz do Jordão, Goioxim, Guaraniaçu, Ibema, Laranjeiras do Sul, Marquinho, Nova Laranjeiras, Pinhão, Porto Barreiro, Quedas do Iguaçu, Reserva do Iguaçu, Rio Bonito do Iguaçu, Saudades do Iguaçu, Três Barras do Paraná e Virmond, são no total 21 municípios entre Guarapuava e Cascavel.

A Cantuquiriguaçu foi criada no ano de 1984 e seu primeiro presidente foi o Prefeito João Secura, de Palmital. O atual presidente é o Sr. Jonatas Felisberto da Silva, prefeito de Laranjeiras do Sul. Todos os presidentes são eleitos por um ano, com direito a uma reeleição. A Associação possui um escritório em Curitiba, sendo a única Associação de Municípios com esse procedimento. Também possui um escritório em Laranjeiras do Sul, apenas para assuntos técnicos.

Olhando o mapa no nosso Estado de agora e, fazendo uma comparação com outro, anterior a 1985, notaremos a marcante diferença. Naquela época, a região norte, nordeste, noroeste, oeste, sudoeste e sul, registravam concentração de municípios de territórios pequenos, mas em grande quantidade, enquanto a nossa apresentava poucos territórios enormes.

Essa disparidade é visível no mapa e sentida por quem trafegava por aí, e dava a impressão de que esta parte não seguia o mesmo desenvolvimento do resto do Paraná. Porém, nos mapas atuais, com o desmembramento, notamos que o panorama se modificou.

Existem mais cidades, mais municípios e por conseqüência muito mais gente. Devido as suas origens, nesta região todos têm problemas idênticos ou seja, de segurança, de saúde, de educação, de transporte e de emprego e renda. A economia, também é muito parecida, a agricultura, pecuária, coleta simples, algumas pequenas indústrias, comércio básico e muitos atrativos, mostrando potencial para desenvolver o transporte.

Assim, a Cantuquiriguaçu passa a ser encarada como uma causa. Uma causa regional, onde todos os seus componentes participam em prol do desenvolvimento como um todo, onde todos serão contemplados.

E uma luta muito longa, pois o que queremos atingir é algo muito bom. Visualizamos o reconhecimento do Estado todo, entendendo que além de termos terras de primeira, teremos população bem preparada, qualificada e sempre procurando aperfeiçoamento para possibilitar a implantação de qualquer empreendimento em nossos territórios, dentro da lógica de que, o melhor campo de emprego e renda é, e sempre foi, a terra: espaço progressista de nossos prefeitos, que cada vez entendem mais a importância dessa união. Assim, para a concretização dessas metas é só uma questão de tempo, pouco tempo se houver cooperação de todos.

Quedas do Iguaçu

Quando em 1930 a 1932 o estado do Paraná decidiu formar o primeiro núcleo de colonização e povoamento do imenso sertão as margens do Rio Iguaçu, foi realizado um convênio com representantes do Governo Polonês para que a região fosse povoada por imigrantes poloneses.

Para isso foi organizada uma companhia, que recebeu o nome de COMPANHIA MERCANTIL PARANAENSE S/A. Essa companhia com sede em Curitiba, foi responsável pela realização do projeto de colonização de nossas terras. Logo, a colonizadora polonesa iniciou a propaganda sobre a colonização na região, assim foram aparecendo os primeiros imigrantes poloneses, vindos do Rio Grande do Sul. A Colonizadora iniciou a construção de barracões para os imigrantes que aqui estavam. A colônia recebeu o nome de COLÔNIA JAGODA (A opção pelo nome “Jagoda” (fruto), traduzia a esperança dos imigrantes que aqui estavam, de que a semente lançada germinasse e desse frutos, o que felizmente aconteceu). Naquela época, aqui existiam muitos animais selvagens, o que dificultava as primeiras plantações. Os colonos eram obrigados a derrubarem os pinheiros gigantes que aqui haviam. O primeiro colonizador a chegar com sua família foi José O’Bara.

Haviam na colônia Jagoda, logo após a compra pela companhia: farmácia, granja, armazém, matadouro, serraria e escola. Ao todo formavam um grupo de 80 famílias.

Os primeiros colonizadores deixaram várias marcas em nosso município. Por exemplo: onde temos a Praça São Pedro, foi o local onde acamparam alguns desbravadores, hoje considerada a parte central da cidade.

Naquela época o transporte utilizado eram apenas carroças e as estradas eram abertas utilizando-se somente de objetos domésticos, como arados, pás, enxadas, etc..Os colonos construíram ali seus ranchos e começaram a exploração de nova terra, onde vivem até hoje. As primeiras colheitas foram aparecendo e a Companhia Colonizadora era responsável pelo comercio, comprando dos colonos e vendendo em Laranjeiras do Sul. Em 1940, surgiu a primeira serraria movida a água.

O nosso município foi durante muito tempo, distrito de Laranjeiras do Sul, do qual foi desmembrado no dia 18 de dezembro de 1967, tornando-se município pela lei 5.668. O município foi oficialmente instalado em 15 de dezembro de 1968. E passou a chamar-se Quedas do Iguaçu.

Nomes que o município já teve: Colônia Jagoda e Campo Novo.

Tipo de colonização predominante: Polonesa;

O primeiro pároco: Padre Sigismundo Gdaniac;

A primeira parteira: Wiera Sokolowiski;

O primeiro prefeito: Pedro Alzide Giraldi;

A primeira escola: Escola Tiradentes.

A padroeira do município é Imaculado Coração de Maria, comemorado no dia 08 de dezembro.

A mudança de nome, Campo Novo para Quedas do Iguaçu, foi em homenagem às quedas de água de Salto Osório, no Rio Iguaçu, desaparecidas com o alagamento da Usina Hidrelétrica de Salto Osório.

Efeitos da IIª Guerra Mundial

Durante a IIª Guerra Mundial, a invasão nazista na Polônia e em toda Europa, resultou em conseqüências graves em todo o mundo, chegando também a Colônia Campo Novo. Houve racionamento e falta de combustível, resultando na escassez de mercadorias e impossibilitando o escoamento dos produtos agrícolas; cessou a chegada de ovos moradores para a Colônia; as estradas terminaram-se tomadas pelo mato.

Diante de tais dificuldades, os colonos despejavam seus produtos na rua em sinal de protesto. Enfim, foi o período mais difícil, pelos quais nossos colonizadores passaram. Em 1945, a guerra acabou e a esperança foi devolvida ao povo. No ano anterior (1944) o Grupo Votorantin de São Paulo, havia comprado a colônia com a intenção de construírem fabricas de produtos diversos. Mas logo a Colônia Campo Novo mudou novamente de proprietário, passando a ser Companhia de Papel e Celulose Iguaçu. Nesse período, muitas localidades do Paraná estavam recebendo imigrantes dos mais diversos estados, muitos deles se dirigindo para a região de Cascavel, Toledo e Marechal Cândido Rondon. A Companhia chegou à conclusão de que a Colônia Campo Novo era pequena e não dispunha de mão de obra suficiente para montar fabricas de celulose por aqui.

Quedas do Iguaçu foi durante muito tempo, distrito administrativo de Laranjeiras do Sul, com o nome de Campo Novo. Foi desmembrado no dia 18 de outubro de 1967, constituindo-se município pela Lei n.º 5.668, e foi oficialmente instalado em 15 de dezembro de 1968, tendo como primeiro Prefeito Municipal o Sr. Pedro Alzide Giraldi.

A formação étnica do nosso povo é predominantemente polonês, sendo que os italianos aparecem também em número bastante expressivo.

Colonizadores que mais se destacaram

O Sr. Antonio Prasnievski chegou a Campo Novo em 1937 foi um dos pioneiros e construiu o primeiro moinho na região. Em 1938, combateu violentamente a política colonialista da Cia. Colonizadora Mercantil do Paraná S/A.

Pe. Sigismundo Gdaniec, primeiro pároco da Colônia, dedicou sua vida inteira à missão de catequizar o povo de Quedas do Iguaçu.

A Sra. Wiera Sokolowicz, primeira parteira.

Primeiros moradores: Eugênio Jarenczuk, Antonio Solowiski, José Orloski, Alexandre Sokolovicz, Mariano Harmerski, Estanislau Kuakosi.

Galeria de imagens

Prefeitura Municipal de Quedas do Iguau - PR